Com a pandemia, Fraternidade sem Fronteiras amplia frentes de trabalho e reforça a importância do apadrinhamento para dar continuidade aos projetos

O cenário provocado pela pandemia da Covid-19 é desafiador para todos desde março de 2020. Para a Organização humanitária Fraternidade sem Fronteiras (FSF), os reflexos foram na ampliação dos polos de trabalhos e no aumento de pessoas acolhidas. Por isso, a ONG reforça a importância do apadrinhamento para dar continuidade aos projetos que levam ajuda humanitária a milhares de pessoas no Brasil e na África Subsaariana.

O número de acolhimentos aumentou em 40% se comparado ao final de 2019. De lá para cá, a FSF